Blog do Resenhando: O Seu Site Cultural

Espaço de apoio do site Resenhando.com

:: Callis Editora lança duas obras sobre infância de Mizael e Mequinho

Gênio do xadrez é tema de novo livro da Callis Editora

A obra “Mequinho” conta a infância do menino prodígio que trocou os carrinhos pelo tabuleiro e se tornou um campeão.

Ao invés de carrinhos de brinquedo e bonecos, a infância de Henrique Costa Mecking, o Mequinho, foi preenchida por reis, rainhas, cavalos e torres. Peças de um jogo de xadrez dado pela mãe, Maria José.

Mesmo antes de aprender a ler, o menino, nascido na cidade de Santa Cruz do Sul (RS), em 1952, surpreendia a todos com sua inteligência diante do tabuleiro. Com apenas seis anos acompanhava o pai, Paulo Hugo, no clube de xadrez da cidade, do qual logo se tornou membro. Aos nove anos, deixou todos de queixo caído, quando, ficou em segundo lugar em um campeonato regional. Seria o primeiro de muitos êxitos do ‘menino gênio’.

Não era apenas no xadrez que ele era craque. Na escola, só tirava notas altas, especialmente em matemática, mesmo com as inúmeras faltas por conta dos torneios. A única resistência que o garoto prodígio enfrentava vinha da mãe, que logo se conformou com a escolha do filho.

A obra é um dos oito lançamentos da Callis Editora na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece entre os dias 12 e 22 de julho no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Paola Gentile estará na feira no dia 21/08, às 16 horas e lança além de “Mequinho”, o título “Mizael”, ambos da Coleção Pequenos Craques. No estande da editora, este ano totalmente sustentável e assinado pela arquiteta Vera Suplicy, a autora realiza uma sessão de autógrafos e participa de um chat com internautas. Para àqueles que não estiverem na feira, a Callis sorteará os lançamentos no Twitter por meio do @CallisEditora.

Tïtulo: Mequinho
Autor: Paola Gentile
Ilustrações: Junião
Coleção: Pequenos Craques
Número de páginas: 32
Formato: 21×21 cm
Preço: R$ 18,90

Coleção “Pequenos Craques”, retrata infância de superação de Mizael

Desde criança, bicampeão paraolímpico buscava independência e autonomia apesar da deficiência visual.

Bicampeão da Copa América, Bicampeão Mundial, Bicampeão Paraolímpico no futebol de cinco para cegos. Advogado atuante. Essa é a trajetória vencedora de Mizael Conrado Oliveira. Vítima de catarata, desde seu nascimento, em 1977, na cidade de Santo André, enfrentou dificuldades com a visão. Ainda nos primeiros anos de vida, submeteu-se à quatro cirurgias que permitiram que o menino, filho da costureira Maria das Dores e do operário João, enxergasse apenas contornos e borrões.

Aos nove anos, recebeu a notícia que mais temia: ficaria completamente cego. Internado no Colégio Padre Chico, entregou-se de cabeça ao esporte. Praticava, com meninos mais velhos, futebol de cinco para cegos. De lá para cá não parou mais. Contra a vontade da família, saiu do internato, arrumou trabalho em uma empresa de cartões de crédito, e treinava futebol semanalmente.

Da coleção Pequenos Craques, “Mizael”, escrito por Paola Gentile, é um dos oito lançamentos da Callis Editora durante a 21° Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece entre os dias 12 e 22 de agosto no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

No dia 21/08, a autora estará presente no estande da Callis, este ano totalmente sustentável e assinado pela arquiteta Vera Suplicy, e vai lançar, além deste título, a obra “Mequinho”, que conta a infância do gênio do xadrez. Lá, ela participará de uma sessão de autógrafos e conversará com internautas através de chats. Para quem não estiver na feira, a editora vai realizar sorteios via Twitter no @CallisEditora.

Tïtulo: Mizael
Autor: Paola Gentile
Ilustrações: Junião
Coleção: Pequenos Craques
Número de páginas: 32
Formato: 21×21 cm
Preço: R$ 18,90

Anúncios

23/08/2010 Posted by | Lançamentos editoriais | Deixe um comentário

:: Editora Larousse lança Heróis, Vilões & Trapaceiros

Qual a semelhança entre Al Capone, Pelé, Napoleão, Marilyn Monroe e Jesse James? Embora por motivos bastante distintos, todos eles entraram para a história e agora ganham destaque – ao lado de muitos outros nomes – em Heróis, Vilões & Trapaceiros, livro de Rupert Matthews e John Birdsall que acaba de ser lançado pela Editora Larousse do Brasil.

Conforme afirma Rupert Matthews, “Não são só os ricos e poderosos que forjam o mundo moderno – apesar de serem numerosos. Muitos lideram pelo exemplo, servindo de modelo ou inspirando a revolta. Alguns desses personagens tão influentes são heróis, outros vilões e não poucos trapaceiros. Uns poucos conseguiram combinar essas três facetas em si mesmos” e foram estes os personagens selecionados pelo autor para compor as 255 páginas de Heróis, Vilões & Trapaceiros.

Frank Abagnale fez muito mais do que inspirar o livro, e filme homônimo, Prenda-me se for capaz, ele foi tão eficiente em suas fraudes que depois de cumprir sua pena virou orientador de mestres na academia do FBI. Já Giacomo Casanova deixou seu nome marcado na história por a suas conquistas amorosas, Chacal por seus crimes e Madre Teresa por sua bondade. Vincent Van Gogh ficou imortalizado através de sua obra, Michael Phelps superou todos os esportistas ao ganhar oito medalhas de ouro em uma só olimpíada e o que dizer de Thomas Edison cujas invenções revolucionaram a vida do homem?

Estas são apenas algumas das personalidades que o leitor encontrará em Heróis, Vilões & Trapaceiros, que reúne dezenas de criminosos, empreendedores, militares, políticos, cientistas, esportistas e artistas – os homens e mulheres – que através de suas ideias e ações transformaram a história da humanidade.

Ficha Técnica:
Heróis, Vilões & Trapaceiros
Autores: Rupert Matthews e John Birdsall
Tradução: Henrique Monteiro
Número de páginas: 256
Preço sugerido: R$ 49,90
Editora: Larousse do Brasil

23/08/2010 Posted by | Lançamentos editoriais | Deixe um comentário

:: Últimos dias para inscrição em Festival

Estão abertas, até o dia 30 de agosto, as inscrições para o 1º Festival de Cinema Universitário da Bahia, que é voltado para a produção universitária nacional. O evento será realizado de 14 a 18 de outubro em Salvador, no Circuito de Cinema Saladearte. Serão selecionados 50 filmes, destes os 10 melhores seguem para Mostra Competitiva Oficial e os demais participam da Mostra Informativa. Serão 12 mil reais em prêmios, a serem distribuídos entre os três primeiros colocados da Mostra Competitiva, e mais duas premiações especiais: Júri Popular e Prêmio ABCV. As inscrições são gratuitas e o regulamento, bem como a ficha de inscrição, estão disponíveis no endereço eletrônico http://www.festivaluniversitario.wordpress.com.

Para participar do festival, além de direção, mais três funções devem ter sido desempenhadas por universitários na época de produção do filme, a partir de 2009. Serão aceitos vídeos de até 20 minutos, de qualquer parte do Brasil. Candidatos de outras cidades, que estiverem entre os 10 primeiros colocados terão passagem e hospedagem garantidas pelo evento. O festival é uma realização da Multi – Planejamento Cultural, que conta com o patrocínio do programa Vivo Arte.mov através do Fazcultura, e tem como parceiros a Unijorge, Dimas, Circuito de Cinema Saladearte e TVE.

***

S E R V I Ç O

O Quê: 1º Festival de Cinema Universitário da Bahia
Quando: 14 a 18 de outubro 2010
Onde: Circuito de Cinema Saladearte
Inscrição: http://www.festivaluniversitario.wordpress.com

23/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Mais cultura | Deixe um comentário

:: Prêmio Caio: Festa de premiação nas regiões Sul, Nordeste e Norte acontece em novembro e dezembro

Cerimônias devem acontecer em novembro e dezembro.

Em seus dez anos de existência premiando o que há de melhor dos setores de eventos e turismo, o Prêmio Caio cresceu e na última década destacou mais de 400 empresas e 1.200 cases, sem contar um público que já bate em 18 mil pessoas se confraternizando em festas memoráveis.

Assim, era natural que a 11a. edição fosse desmembrada, permitindo que o Prêmio Caio entrasse em uma nova fase, a de registrar regionalmente seus vencedores na missão de promover, difundir e aprimorar a utilização de eficazes ferramentas do setor de Eventos, Promoção Comercial, Marketing Promocional e Turismo de Negócios.

Sergio Junqueira, idealizador do Prêmio e diretor da Eventos Expo Editora, está viajando por todo o Brasil em negociação com os Destinos das regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sul em busca de interessados em sediar a festas regionais. As categorias a serem contempladas são as mesmas de edições anteriores, sendo que a novidade na noite de premiação é que seja num sábado, em auditório, com coquetel ou durante jantar.

A edição regional também retoma os Seminários Prêmio Caio onde os vencedores da última edição do Prêmio realizam palestras para a comunidade local.

Sobre o Prêmio Caio
O Prêmio CAIO tem como missão promover, difundir e aprimorar a utilização das melhores, mais modernas e eficazes ferramentas do setor de Eventos, Promoção Comercial, Marketing Promocional e Turismo de Negócios do país, através da análise, ensinamento e difusão de trabalhos realizados e ações desenvolvidas no Brasil.
O Prêmio Caio, uma iniciativa da Revista Eventos, é realizado pela Eventos Expo Editora, sob a égide de um Conselho Diretor composto pelas entidades mais representativas dos setores de eventos, promoção comercial, marketing promocional e turismo de negócio ABIH, ABE, ABRACCEF, AMPRO, CBCVB e UBRAFE, sendo ainda apoiada pela ABBTUR, ABEOC, ABETAR, ABLA, ABRAJET, ABRASEL, ABRATURR, ABREMAR, ANETUR, BRAZTOA, FENACTUR, FNHRBS, FOHB, FORNATUR, IBEV, IFEA BRASIL, OBME , RESORTS BRASIL, SINDEPAT e SINDIPROM.
Para mais informações sobre a premiação, informe-se no site http://www.premiocaio.com.br ou siga o Prêmio Caio nas redes sociais: LinkedIn, Facebook, Plaxo e no Twitter, sempre com as última noticias do Grande Prêmio Brasileiro de Turismo e Eventos.

Relação de Categorias
Destinos – Grande Porte e de Pequeno e Médio Porte
Empreendimentos – Resorts, Hotéis, Centro de Convenções, Pavilhão de Exposições e Espaço para Eventos.
Serviços – Alimentos & Bebidas, Áudio-Visual, Cenografia, Comunicação Visual, Estandes, Limpeza, Operação e Produção de Estandes, Receptivo de Eventos, Reportagem sobre evento, Portal, Site, Hot Site ou Solução Web, Infra-Estrutura e Segurança.
Eventos – Captação de Evento, Congresso, Convenção, Evento Artístico, Evento Corporativo, Evento de Endomarketing, Evento de Responsabilidade Social, Evento Esportivo, Evento de Incentivo, Evento Promocional, Evento Social, Festa Popular Cultural, Lançamento de Produto e Viagem de Incentivo.

23/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Mais cultura | Deixe um comentário

:: Premio POP e I Oficina de Cases Promovida pelo Conrerp e Abracom

O Conrerp 2ª Região – Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas São Paulo/Paraná e a Abracom – Associações Brasileira das Agências de Relações Públicas promovem, no dia 25 de agosto, a I Oficina de Cases, com o objetivo de colaborar com os profissionais de comunicação no passo a passo para elaboração de cases de relações públicas para participação no 30º POP – Prêmio Opinião Pública.

A Oficina será comandada por dois vencedores de case e também juízes de edições anteriores do POP. São eles Silvana Nader, Relações Públicas formada pela USP, pós-graduada em Marketing pela FGV e MBA em Gestão de Empreededorismo Social pela Fundação Instituto de Administração – FIA/USP – e especialização em Sustentabilidade e Responsabilidade Social pela Faculdade de Economia da Unicamp. Professora e palestrante em Comunicação e Responsabilidade Social. Sócia diretora da Mendes & Nader Comunicação e Responsabilidade Social; e por Flávio de Borba Schmidt, tesoureiro do Conferp, formado em Relações Públicas pela Anhembi-Morumbi/SP. Mais de 25 anos de experiência na área. Proprietário da Prólmagem Consultoria de Relações Públicas. Criador e coordenador do site http://www.universorp.net e do grupo universoRP. Dentre os temas a serem debatidos estão O diferencial da atividade profissional, Competências, Passo a passo da montagem do case para inscrição, Características que definem cada categoria, Processo de avaliação e Apresentação de cases vencedores.

Podem participar da Oficina, que será realizada das 8 às 13hs na Sala do CRP da ECA/USP, profissionais das agências de relações públicas, assessoria de imprensa e comunicação institucional. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas até o dia 24/09, por email (contato@abracom.org.br), das 9 às 18 horas, com Marina Conrado.

23/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Mais cultura | Deixe um comentário

:: O impacto da Leitura para Bebês sobre o Desenvolvimento Cognitivo e da Linguagem é tema de seminário internacional na Bienal de São Paulo

Seminário traz especialistas internacionais á Bienal Internacional do livro de São Paulo neste sábado, dia 21 de agosto, para falar das evidências científicas da influência da leitura precoce sobre a inteligência e desempenho escolar posterior. Porque ler, como ler para crianças e a importância das políticas públicas voltadas a estimular essa prática serão temas abordados.

Ler para as crianças desde o berço tem forte impacto no desenvolvimento da linguagem e da cognição. Crianças que aos 3 anos de idade já possuem o hábito de leitura em família apresentam ao entrar na escola um vocabulário 300% maior que aquelas que não tiveram contato com livros. Aos 10 anos, as diferenças no desempenho escolar são bem perceptíveis. É o que mostram inúmeros estudos internacionais.

Para trazer esta discussão para o Brasil e estimular programas focados nessa faixa etária, o Instituto Alfa e Beto (IAB) está promovendo um debate com dois dos maiores especialistas mundiais no assunto, dia 21, em São Paulo, na Bienal Internacional do Livro.

Confira a programação do seminário – promovido em parceria com a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo – e outras informações sobre os programas que o IAB está lançando para estimular a leitura em família para crianças pequenas:

“Leitura desde o berço:
políticas sociais integradas para a Primeira Infância”

Data: 21/08/10 – das 11h às 13h
Local: Bienal será no Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209, Santana – São Paulo – SP – CEP 02012-021
Telefone: 11 2226-0400
Stand será na Rua O, nº 23
Seminário: Auditório Monteiro Lobato
Inscrições no site: http://www.alfaebeto.org.br
Foco: O impacto da leitura desde o berço sobre o desenvolvimento da linguagem, da cognição e seus efeitos positivos no desempenho escolar.

Programa:

Leitura e desenvolvimento da linguagem: o que dizem as pesquisas
David Dickinson, professor e pesquisador da Universidade de Vanderbilt (EUA)

Como ler com as crianças
Perri Klass, pediatra, escritora e professora de pediatria e jornalismo, Universidade de New York (EUA)

Inserindo a leitura nas políticas sociais
João Batista Oliveira, presidente do IAB

Sobre os palestrantes:
o David Dickinson é doutor em educação pela Universidade de Harvard e especialista em alfabetização. No Brasil, apresentará estudos científicos que relacionam positivamente leitura precoce e desenvolvimento da linguagem. Professor e pesquisador da Universidade de Vanderbilt, Dickinson dedicou sua vida à analise dos fatores que levam ao êxito da alfabetização, especialmente em crianças de classes sociais mais baixas, com menos estímulos lingüísticos e culturais no ambiente familiar.
Após estudar as relações entre aquisição de vocabulário e evolução da capacidade conceitual, desenvolvimento da linguagem, alfabetização e cognição, Dickinson trabalhou na concepção de intervenções e ferramentas que melhorassem o apoio da pré-escola ao desenvolvimento das crianças nessas áreas, tendo elaborado currículo para esse nível de educação.
Seus trabalhos comprovam ser possível, aos quatro anos, identificar as crianças submetidas a alguma forma de atendimento prévio e constatar que a qualidade da linguagem no ambiente da pré-escola influencia o desempenho escolar posterior. (David.dickinson@vanderbil.edu)

o Perri Klass é pediatra, pesquisadora, jornalista e escritora. Falará sobre como ler para crianças, de maneira a fornecer os melhores estímulos para o desenvolvimento de cada faixa etária.
Klass foi responsável por transformar um programa de estímulo à leitura infantil de um único hospital em um programa nacional – o Reach Out and Read -, que desenvolve atividades em mais de 4, 5 mil centros em 50 estados nos EUA.
Além de treinar médicos e enfermeiras para que estimulem os pais a ler para seus filhos pequenos, o programa fornece material adequado, distribuindo anualmente mais de 6 milhões de livros para mais de 3,8 milhões de crianças. Klass trabalha atualmente treinando profissionais de saúde em todo o território norte-americano – e recentemente em Portugal e Filipinas – na estratégia de incorporar livros e orientações bibliográficas nas atenções pediátricas primárias. (perri.lass@nyu.edu)

Sobre o fundador do IAB:
o João Batista Oliveira é psicólogo com PhD em Educação, trabalhou como professor no Brasil e no exterior. Como funcionário do Banco Mundial, em Washington, e da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, trabalhou como consultor, desenvolvendo projetos na área de educação em mais de 60 países. Mais recentemente, foi consultor na revisão do documento que o Banco Mundial está elaborando para a área de políticas para a Primeira Infância. Hoje, preside o IAB.
No seminário, explorará exemplos concretos de boas políticas públicas, dirigidas a inserir o hábito de ler para crianças pequenas nas famílias, nas creches e entre seus cuidadores. Programas de distribuição de livros, de incentivo a mães crecheiras, assim a capacitação de babás e professores de pré-escola são alguns dos exemplos abordados. (jmeduc@gmail.com)

Alguns trechos de entrevistas dadas pelos palestrantes:

David Dickinson:

“É importante ler mesmo para um bebê que ainda não fala, mas não se trata de ler um conto de fadas. Os primeiros livros devem ter apenas imagens e o tempo para folheá-los deve ser breve. O importante é ler com regularidade, de preferência todos os dias, e tornar a experiência agradável”, explica David Dickinson. Os pais, diz ele, devem usar as imagens do livros como base para iniciar uma conversa com a criança: “Faça perguntas sobre a figura ou sobre a história. Não se limite a ler as palavras e virar a página.”

“A capacidade de se manter focada em uma atividade também é beneficiada pelo hábito de leitura. Quando assistimos à TV ou usamos o computador, a tecnologia prende nossa atenção. Já quando lemos um livro, precisamos fazer esse trabalho sozinhos.”

João Batista Oliveira:

“A interação com adultos é fundamental para o desenvolvimento da linguagem e o aprendizado se dá pela imitação”, diz o presidente do IAB, João Batista Oliveira. “Mas a linguagem oral tem um vocabulário restrito e uma sintaxe simplificada. O livro, por mais simples que seja, obedece às regras da linguagem escrita, que é a mesma que a criança vai encontrar na escola… E, se o vocabulário é o tijolo do pensamento, a sintaxe é a argamassa. Quanto maior o vocabulário e mais articulada a sintaxe, mais temos sobre o que pensar e mais ferramentas para fazê-lo. Essa maior capacidade de raciocínio e compreensão favorece tanto o desempenho em disciplinas como português e matemática como nas demais”, conclui o professor João Batista Oliveira.



IAB lança programas para crianças de Zero a 3 anos

O Instituto Alfa e Beto (IAB), instituição dedicada à educação, com foco especialmente em alfabetização, está lançando programas voltados para crianças na faixa de zero a 3 anos por ser essa uma etapa crítica, na qual estímulos e condições adequadas são essenciais para assegurar o pleno desenvolvimento. A quantidade e qualidade dos estímulos recebidos nessa fase podem determinar diferenças de vocabulário que variam de 3 mil a 10 mil palavras quando as crianças chegam à idade escolar. Uma desigualdade que a escola dificilmente poderá compensar e que é particularmente grave num país com disparidades sociais tão grandes como o Brasil.

Por isso o IAB se capacitou para prestar apoio a elaboração e implementação de políticas públicas para a Primeira Infância e busca parceiros para desenvolver programas que têm por objetivo estimular o hábito de leitura para essa faixa etária, sobretudo entre as famílias de nível sócio-econômico mais baixo. Esses programas prevêem, entre outras coisas: distribuição e empréstimos de livros adequados, capacitação de agentes de leitura e professores de creches; e visitas domiciliares para orientação de familiares e cuidadores sobre a importância e a melhor maneira de ler para crianças pequenas.

O programa já desenvolveu projetos em parceria com a UNESCO, o Instituto Geia e a Fundação Reach Out and Read – que promove leitura para crianças em mais de 4,5 mil hospitais dos EUA.

Na área de apoio ao desenvolvimento de políticas públicas focadas na Primeira Infância, o IAB oferece: diagnósticos e subsídios para a elaboração de políticas em todas as áreas, avaliação e formulação de propostas para a melhoria da qualidade do serviço prestado pelas creches; desenvolvimento de estratégias alternativas de atendimento e implementação de projetos de leitura. Para o aprimoramento das ferramentas utilizadas por essas políticas públicas, o IAB está estruturando um Centro de Referência que desenvolverá pesquisas relacionadas ao atendimento a crianças e famílias em diferentes contextos institucionais.

Sobre a importância de ler para bebês

A leitura é muito importante mesmo em fases muito precoces. Já durante a gestação, o bebê aprende a identificar vozes, ritmos e características da língua que aprenderá a falar. Com poucas semanas, identifica textos e cantigas que a mãe lia, recitava ou cantarolava durante a gravidez.

Mesmo antes de aprender a ler, o contato com livros e com a leitura feita por adultos ajuda a criança a aprender uma linguagem diferente — e mais complexa — do que a usada no dia a dia. Os livros desempenham várias funções que vão muito além de uma boa conversa. Eles introduzem diferentes maneiras de comparar e apreender o mundo, já que os objetos reais são representados por meio de figuras, palavras e sinais, dando início a formas variadas de abstração. São diversas linguagens usadas para aprender sobre o mundo. Os livros permitem desenvolver vocabulário muito mais amplo do que o usado corriqueiramente. E o vocabulário constitui o tijolo básico da construção mental: nós pensamos a partir de conceitos, e as palavras nos permitem pensar nos conceitos.

A leitura propicia o contato da criança com estruturas sintáticas muito mais complexas do que as usadas no quotidiano. Essas estruturas possibilitam desenvolver formas mais complexas de se expressar e conhecer o mundo, favorecendo o desenvolvimento cognitivo da criança. Livros permitem aos adultos conversar com as crianças sobre uma variedade de temas muito mais ampla do que a que surge espontaneamente no dia a dia, possibilitando também novas abordagens sobre temas cotidianos, já que trazem os sentimentos, os medos, os sonhos, as emoções, as opiniões de outras pessoas, as realidades que não estão no dia a dia da criança. Livros permitem à criança se deliciar com os sons, rimas e ritmos da língua, conhecimentos que são essenciais para o futuro processo de alfabetização. Livros permitem introduzir as crianças ao mundo das letras, das palavras, das formas de expressão que mais tarde serão muito usadas na escola.

As evidências científicas sobre a importância da formação precoce do hábito de leitura são impressionantes. Uma delas trata do vocabulário. As crianças começam a falar entre 15 e 18 meses. Já aos 20 meses de idade, a diferença de vocabulário entre crianças variar de 200 a 600 palavras – dependendo do nível socioeconômico das famílias. Essa diferença vai só aumentando – quando chegam ao ensino fundamental, já se criou um fosso insuperável. Livros e leitura podem ajudar a reduzir esse fosso e a reduzir as desigualdades sociais. Eles são um poderoso mecanismo de redução de desigualdades sociais e do círculo vicioso da transmissão da pobreza. Outra evidência impressionante: as crianças que aos 3 anos de idade já possuem o hábito de leitura em família apresentam, aos 10 anos, desempenho escolar superior ao de crianças que não adquiriram esse hábito. Isso ocorre em todas as classes sociais.

Biblioteca do Bebê na Bienal do Livro de São Paulo

Além do seminário, o IAB apresenta na Bienal Internacional do Livro (entre 12 e 22 de agosto) a Biblioteca do Bebê, onde serão feitas demonstrações das melhores técnicas de leitura para as diferentes faixas etárias entre zero e quatro anos, ou seja, aquelas que propiciam estímulos mais eficientes para o desenvolvimento infantil em cada etapa. A demonstração será complementada com o lançamento de uma cartilha explicativa sobre a melhor maneira de ler para cada idade, uma coleção de livros adequada para crianças de até 3 anos e um catálogo com os “Guia IAB de Leitura para a Primeira Infância: os 600 livros que toda criança deveria ler antes de entrar na escola”.

Lançamentos do IAB para a Primeira Infância

“Guia IAB de Leitura para a Primeira Infância:
Os 600 livros que toda criança deve ler antes de entrar para a escola”

O IAB lança agora em agosto o catálogo “Os 600 livros que toda criança deve ler antes de entrar para a escola”. O objetivo é estimular o hábito de leitura em família, com a meta de ler para as crianças de seis meses a seis anos 100 livros por ano, dois por semana. Ler para crianças pequenas é fator essencial para assegurar o desenvolvimento da linguagem, do vocabulário, da sintaxe e, dessa forma, melhor preparar as crianças para ter sucesso na escola.

O catálogo visa orientar pais, educadores e bibliotecas sobre os tipos de livros e leituras adequados para cada idade. Para isso, a publicação traz as obras organizadas em seis faixas etárias, de 1 a 6 anos, com cerca de cem títulos para cada uma. Cada obra é apresentada com uma resenha e indicações a respeito dos temas abordados.

Outro objetivo é oferecer às crianças brasileiras um conjunto mínimo de leituras que lhe possibilitem um conhecimento amplo do mundo, do funcionamento dos objetos, da nossa cultura, da cultura universal, enfim, um fundo comum de conhecimentos que toda criança brasileira deve adquirir. Para isso, inclui não apenas livros de literatura, mas também livros informativos, descritivos e livros sem textos para bebês.

O catálogo foi desenvolvido com a colaboração de dois painéis de especialistas representando diferentes enfoques e pontos de vista – literatura geral, literatura infantil, ilustração, editoração, psicologia do desenvolvimento e educação.

IAB lança cartilha e vídeo sobre como ler para bebês

O IAB está lançando também a cartilha Primeira Infância Primeiras Leituras, que explica as melhores técnicas de ler para bebês e crianças pequenas, interagindo com elas de forma a estimular ao máximo o desenvolvimento de cada fase. Escrita com linguagem simples e clara, a publicação traz exemplos concretos fáceis de utilizar. Mesmo pessoas com pouca escolaridade e dificuldade de leitura podem ler e estimular seus filhos a ler, desde pequenos. Na cartilha, pais e educadores encontrarão informações simples e práticas sobre o que ler, como ler, por que ler, onde ler e quando ler para crianças.

Com o mesmo objetivo, está sendo lançado o DVD “Leitura desde o Berço: Como ler para bebês”, que traz exemplos concretos de pais, mães, babás, avós lendo para crianças de 6 a 36 meses. Também apresenta informações e dicas concretas sobre como os adultos podem ajudar o desenvolvimento da linguagem e do vocabulário das crianças lendo de forma interativa, espichando conversa, estimulando a criança a participar ativamente da leitura e, dessa forma, adquirir o hábito e o gosto pela leitura.

A Coleção Pequenos Leitores

O Instituto Alfa e Beto (IAB) lançará na Bienal a Coleção Pequenos Leitores. Trata-se de um conjunto de 12 livros destinados a crianças de 6 a 36 meses. Essa faixa etária está dividida em sub-faixas de seis em seis meses, com livros específicos para cada uma: sem texto, com palavras ou com pequenas histórias. O objetivo da coleção é ilustrar os tipos de livros adequados às diferentes faixas etárias, bem como demonstrar como os pais podem usar esses materiais para ler para as crianças, desde o berço. Na contracapa são apresentadas orientações para leitura, adequadas para as diferentes idades.

20/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Lançamentos editoriais, Mais cultura | Deixe um comentário

:: Mia Couto apresenta palestra

Renomado escritor, sexto ocupante da cadeira número cinco da Academia Brasileira de Letras e uma das principais atrações da 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo privilegia a comunidade acadêmica através da exposição de seus conhecimentos.

No dia 23 de agosto de 2010, das 14h30 às 16h, no auditório do Centro de Pós-graduação da UNINOVE, o escritor de origem moçambicana que mais possui obras traduzidas apresentará aos públicos discente e docente da Instituição uma aula Magna de abertura do semestre letivo, Doutorado e Mestrado em Educação da UNINOVE, com o tema “Línguas que não sabíamos que sabíamos”.

António Emílio Leite Couto, mais conhecido como Mia Couto, iniciou sua carreira ainda jovem, aos 14 anos de idade, quando teve alguns poemas publicados no jornal “Notícias da Beira”. Após desistir da faculdade de Medicina, no ano de 1974, tornou-se jornalista e desde então passou a ser reconhecido mundialmente por seu talento. “Acreditamos que, para a formação de mestres e doutores qualificados, é fundamental que o corpo docente esteja empenhado em aproximar seus alunos a grandes personalidades culturais, como o ilustre escritor Mia Couto”, afirma o diretor do Programa de Mestrado/Doutorado em Educação da UNINOVE, Prof. José Eustáquio Romão.

Fortemente admirado pelos leitores brasileiros, Mia Couto participará de um debate com o autor angolano José Eduardo Agualusa, no próximo sábado, na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, às 19h.

Entre as obras publicadas pelo escritor estão seu primeiro livro de poesia, “Raiz de Orvalho”, seu principal romance, “Terra Sonâmbula”, seus contos “Vozes Anoitecidas”, “Cada Homem é uma Raça”, “Estórias Abesonhadas”, entre outros, e crônicas como “O País do Queixa Andar”. Por fim, não podemos esquecer da famosa obra “Se Obama Fôsse Africano e Outras Interinvenções”

Serviço

Palestra: “Línguas que não sabíamos que sabíamos” – Mia Couto

Local: Universidade Nove de Julho, Auditório do Centro de Pós-graduação, situado na Av. Francisco Matarazzo, 612, Água Branca, São Paulo – SP

Inscrições: até 20/08, às 12h, através do e-mail, douglasmello@uninove.br.

Obs.: As vagas são limitadas.

19/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Mais cultura | Deixe um comentário

:: 5º. Festival Sertanejo começa nesta sexta-feira em Jacareí

23 canções inéditas e com temática sertaneja de raiz foram selecionadas. O Festival Sertanejo será realizado entre os dias 20 e 22 de agosto, no EducaMais Centro, com entrada gratuita. Além dos concorrentes, haverá shows de artistas convidados como o sanfoneiro Zé Cupido, Betinho da Viola e o Mutirão da Viola.

A cidade de Jacareí, a 80 km de São Paulo, está à procura de novos talentos na música sertaneja de raiz. Para facilitar essa missão, a Fundação Cultural de Jacarehy José Maria de Abreu irá realizar o 5º. Festival de Música Sertaneja “Diésis ‘Ranchinho’ dos Anjos Gaia” entre amanhã (sexta-feira, dia 20) e domingo, 22. As 23 músicas selecionadas entre as inscritas serão apresentadas nestas sexta e sábado no EducaMais Espaço Centro (antigo Trianon), localizado na Rua Ramira Cabral – Centro, com entrada gratuita. Além dos concorrentes, haverá apresentações de artistas convidados, como o sanfoneiro Zé Cupido, Betinho da Viola e Mutirão da Viola, entre outros.

Foram selecionadas canções de participantes de 10 cidades: Jacareí, São José dos Campos, Sumaré, Tremembé, Taubaté, Santa Branca, Guararema, São Sebastião, Campo Limpo Paulista (SP) e Conceição dos Ouros (MG). As músicas são inéditas e com temática sertaneja de raiz.
No dia 22 haverá premiação em dinheiro e entrega de troféus e medalhas aos vencedores. O valor do prêmio será de R$ 1.000,00, R$ 700,00 e R$ 400,00, do 1º. ao 3º. colocado. Já para melhor intérprete e compositor, a premiação é de R$ 250,00. Além dos prêmios em dinheiro, haverá entrega de troféus. Os dez primeiros lugares ganharão medalhas, além do certificado de participação, que será entregue a todos os inscritos no Festival.

Na sexta-feira, 20, serão apresentadas onze músicas e selecionadas as cinco finalistas. Os convidados da noite são o Rincão Sertanejo, que faz o show de abertura às 19h00, e o Mutirão de Viola. No sábado, 21, segundo dia da eliminatória, será a vez das outras 12 escolhidas, que resultarão em mais cinco finalistas. Haverá shows de Rancho da Viola Branca e Ranchinho da Serra.

Já a final, no domingo, começa com show do Cantinho da Viola. Na sequência, serão apresentadas as dez melhores músicas, escolhidas nos dois dias de Festival. Durante a apuração das notas, os cantores Léo e Betinho da Viola e o sanfoneiro Zé Cupido farão shows para o público.
Homenagem – O Festival Sertanejo de Jacareí faz homenagem a um filho ilustre da cidade: Diésis dos Anjos Gaia, o Ranchinho (1913-1991). Nascido em Jacareí, o artista formou com o mineiro Murilo Alvarenga a dupla Alvarenga & Ranchinho, uma das mais populares do país entre os anos 1930 e 1950.

A dupla ficou famosa por “disparar” farpas com composições políticas irônicas e bem humoradas como “Romance de uma caveira”. Alvarenga & Ranchinho começaram em 1929 com apresentações em circos e depois fizeram sucesso por dez anos no Cassino da Urca (RJ).

19/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Mais cultura | Deixe um comentário

:: Inscrições para o 30º POP até 17 de setembro

As inscrições para o 30º POP (Prêmio Opinião Pública), voltado para profissionais e agências de relações públicas, encerram-se no dia 17 de setembro. O evento, realizado pelo CONRERP (Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas) 2ª Região – SP/PR, com promoção do CONFERP, já premiou cerca de 270 cases em três décadas.

A chancela que reconhece as melhores práticas profissionais em Relações Públicas é distribuída em oito categorias: Organizações Públicas; Organizações Privadas; Organizações de Terceiro Setor; Sustentabilidade: Responsabilidade Social e Ambiental; Internacionais; Gestão de Crises; Novos Mercados e Empreendedorismo; e Universidades.

Os trabalhos desenvolvidos entre novembro de 2009 e 17 de setembro de 2010 podem ser enviados pelo correio ou entregues pessoalmente na sede do CONRERP 2ª Região, em São Paulo. O júri, composto por profissionais do setor, avaliará os cases de acordo com a análise do contexto da organização; descrição do case; planejamento de Relações Públicas e briefing (objetivos, estratégias de Relações Públicas, ações, metodologia de avaliação e resultados). A solenidade de entrega será em 30 de novembro, em São Paulo.

19/08/2010 Posted by | Mais cultura | Deixe um comentário

:: Nando Reis faz shows em Buenos Aires pela primeira vez

O cantor e compositor Nando Reis desembarca pela primeira vez na capital da Argentina para lançar seu último trabalho Drês. Os shows acontecem nos dias 20 e 21 de agosto na casa de jazz Notorius, em San Nicolas, Buenos Aires.

Baladas românticas, ryffs de guitarra, letras românticas e homenagens é o que traduz Drês. O nome escolhido para o oitavo CD é uma mistura de Dri, apelido de sua ex-namorada Adriana Lotaif e Três, número de composições dedicadas a ela no disco.

O repertório do show é um capítulo à parte. Nando Reis vai apresentar em voz e violão, músicas como Ainda Não Passou, Hi, Dri!, Pra Você Guardei o Amor, e outras como as que foram dedicadas à mãe (Conta) e à filha Sophia (Só Pra So).

Nando também canta sucessos que coleciona ao longo desses quinzes anos desde que lançou seu primeiro disco solo como Relicário, Por Onde Andei, All Star, Do Seu Lado e Os Cegos do Castelo, entre outros.

A distribuição do disco Drês ficará a cargo da Random Records, selo argentino responsável pela divulgação dos principais artistas brasileiros na Argentina. Toda a parte gráfica do disco é assinada pelo artista Sesper.

18/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Mais cultura | Deixe um comentário

:: Catavento recebe a exposição Ecocartoon

Entre os dias 24 de agosto e 12 de setembro, o Catavento Cultural e Educacional – localizado no centro da capital paulista – exibe a mostra de desenhos Ecocartoon 2009. A exposição, realizada no Claustro do Catavento, conta com 140 trabalhos entre cartuns, charges e caricaturas que expressam o tema “Poluição Urbana”.

Artistas de 49 países como Alemanha, Austrália, Brasil, Coréia do Sul, Cuba, Inglaterra, Irã, Ucrânia e Venezuela, apresentam seus trabalhos sob a curadoria do Shopping Pátio Brasil, Brasília (DF), que idealizou a proposta em 2008 e se encarregou de selecionar e premiar as obras de destaque, por meio de um júri renomado e outro popular.
“Quando vi a exposição pensei em trazê-la para cá, pois São Paulo é uma cidade que sofre muito com todos os tipos de poluição (ar, água, sonora, visual…) e os cartuns são uma forma bem humorada de mostrar isso à população e, quem sabe, fazê-los refletir um pouco sobre o assunto”, conta Daniela Hikawa, educadora da seção Terra do Catavento.

Sobre o Catavento
Fruto de uma parceria entre as Secretarias Estaduais da Cultura e da Educação, o Catavento conta com 250 instalações distribuídas em 4 mil metros quadrados. O espaço é dividido em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade), cada uma delas elaborada com iluminação e sons diferentes, que contribuem para criar atmosferas únicas e envolventes.
Atrações como uma maquete do sol, uma caverna que reproduz as formações e sons originais, aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma parede de escaladas onde é possível ouvir histórias de personalidades como Gengis Khan, Julio Cesar e Gandhi e um passeio digital que mostra o Rio de Janeiro em 3D, são apenas algumas das atrações em que os visitantes comprovam que é possível aprender e se divertir ao mesmo tempo.

SERVIÇO:
“Ecocartoon”
Onde: Claustro do Catavento Cultural e Educacional
Quando: de 24 de agosto a 12 de setembro
Endereço: Palácio das Indústrias – Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP
Quando: De terça a domingo, das 9h às 17h (bilheteria fecha às 16h)
Quanto: R$ 6,00 e meia-entrada para estudantes e idosos
Classificação: livre
Como chegar: informações no http://www.cataventocultural.org.br/mapas.asp
Acesso por transporte público: estação de metrô Pedro II e terminal de ônibus do Parque Dom Pedro II
Estacionamento: capacidade para 200 carros. Até 3 horas (somente para visitantes do Catavento): R$ 8,00
Infraestrutura: acesso para pessoas com deficiência locomotiva

18/08/2010 Posted by | Agenda cultural, Mais cultura | Deixe um comentário

:: “Brasil: uma história”, de Eduardo Bueno, é lançado pela Editora LeYa Brasil

RICAMENTE ILUSTRADO, LIVRO VOLTA ÀS PRATELEIRAS EM EDIÇÃO REVISADA E AMPLIADA, QUE ABRANGE CINCO SÉCULOS DE BRASIL – DESDE A PRÉ-HISTÓRIA ATÉ OS DIAS ATUAIS

“Brasil: uma história – cinco séculos de um país em construção” é o novo lançamento da editora LeYa Brasil, escrito pelo jornalista Eduardo Bueno. O autor, que despertou um novo interesse na História do Brasil, retirando da disciplina o caráter exclusivamente acadêmico, volta à cena com uma obra definitiva. São quase 500 páginas ricamente ilustradas que abrangem desde o período pré-descobrimento até o governo do presidente Lula.

Eduardo Bueno tornou-se conhecido do grande público ao produzir best sellers no antes árido terreno da história do Brasil. É autor da coleção Terra Brasilis, um inegável sucesso editorial: foram mais de 500 mil exemplares vendidos e a proeza de manter quatro títulos simultaneamente nas listas dos mais vendidos durante várias semanas. Bueno levou a História do Brasil da grade escolar para lugares absolutamente inéditos, como as conversas informais e os programas de televisão de grande audiência.

Tamanha popularidade não excluiu a excelência e o reconhecimento: mesmo com uma penetração massiva e popular, Eduardo Bueno conquistou o respeito de seus pares, de políticos de todas as vertentes ideológicas e também de acadêmicos renomados – o autor recebeu do historiador inglês Erick Hobsbawm a seguinte dedicatória: “De um historiador para outro”.

É esse escritor que nos apresenta agora “Brasil: uma história”, editado pela primeira vez em 2001. Essa edição, revista, ampliada e rediagramada, traz novos capítulos, além de imagens inéditas e impactantes. Eduardo Bueno aprimora o estilo ágil e coloquial que cativou milhares de leitores, narrando tanto fatos conhecidos da história brasileira quanto oferecendo novas luzes sobre episódios antes obscuros. Estão retratados acontecimentos da história recente como a redemocratização, o primeiro impeachment presidencial, e os governos de Fernando Henrique Cardoso e Luís Inácio Lula da Silva.

Em “Brasil: uma história – cinco séculos de um país em construção” Bueno permanece coerente com a perspectiva de que a História é algo vivo, pulsante e dinâmico – e que, portanto, deve ser tratada e contada da mesma forma. Dessa forma, mantém-se fiel à máxima “um povo que não conhece a sua História está condenado a repeti-la”.

“Tornei-me um pouco menos ignorante em relação à História do Brasil graças aos livros de Bueno. Viajei bastante com ele”. Walter Salles Jr., cineasta

“O Brasil estava precisando de livros de história gostosos de ler. Achei fascinante”. Fernanda Torres, atriz

“Ao ler, me senti cumprindo uma obrigação – de saber das minhas raízes – com o maior prazer”. Marília Gabriela, jornalista e atriz

“Uma das artes mais difíceis é a de escrever bem, de modo claro e sintético, mantendo-se fiel aos acontecimentos. Pois é isso que Eduardo Bueno consegue em uma síntese de séculos de nossa história. Não há melhor introdução para um público não especializado que queira ter uma noção da História do Brasil.” Fernando Henrique Cardoso, sociólogo, ex-presidente do Brasil

“Milhares de leitores descobriram o Brasil lendo Eduardo Bueno”. Joaquim Romero Magalhães, emérito historiador português

Ficha Técnica
Título: Brasil: uma história – cinco séculos de um país em construção
Autor: Eduardo Bueno
Formato: 21 X 25 cm
Brochura
Nº de páginas: 480
Preço: R$ 69,90

Sobre o autor
Eduardo Bueno é escritor, tradutor, jornalista e editor. Escreveu mais de 20 livros, a maioria deles sobre História do Brasil. Autor da coleção Terra Brasilis, cujos quatro primeiros volumes (A viagem do descobrimento, Náufragos, traficantes e degredados, Capitães do Brasil e A Coroa, a cruz e a espada) venderam mais de meio milhão de exemplares, Bueno se tornou o primeiro autor brasileiro a possuir simultaneamente quatro livros no topo das listas de mais vendidos dos principais jornais e revistas do país. Sua obra despertou um interesse sem precedentes pela História do Brasil, gerando o surgimento de revistas especializadas, debates públicos, dissertações de mestrado e programas de televisão, além de levar os livros sobre o tema a ocupar lugar de destaque nas livrarias. Eduardo Bueno também traduziu mais de 20 livros, entre eles o clássico “On the road” (“Pé na estrada”), obra que resultou no desembarque da literatura beat no Brasil. Foi colaborador de algumas das principais editoras brasileiras, responsável pela publicação de mais de 200 títulos, muitos deles inéditos em português. Como jornalista, trabalhou nos mais importantes órgãos de imprensa do país, dentre eles os jornais Zero Hora, de Porto Alegre, e O Estado de S. Paulo. Recentemente, apresentou, com Pedro Bial, o quadro “É muita história”, levado ao ar pelo programa Fantástico, da TV Globo. Atualmente, é o apresentador do canal The History Channel.

Sobre a editora
A LeYa nasceu em Portugal, em janeiro de 2008, como empresa holding na qual se integram algumas das mais prestigiadas editoras nacionais e duas das mais bem-sucedidas editoras africanas. Compõem a LeYa as seguintes editoras: ASA, Caderno, Caminho, Casa das Letras, Dom Quixote, Estrela Polar, Gailivro, Livros d’Hoje, Lua de Papel, Ndjira (Moçambique), Nova Gaia, Nzila (Angola), Oceanos, Oficina do Livro, Quinta Essência, Sebenta, Teorema e Texto. A força destas marcas e a qualidade do que produzem, aliada aos objetivos ambiciosos e à dinâmica de grupo, fazem da LeYa uma empresa forte e coesa nos seus objetivos gerais e diversa nos seus programas editoriais.

17/08/2010 Posted by | Lançamentos editoriais | Deixe um comentário

:: Retratos de uma cidade que não se basta na superfície

Noites Urbanas é o primeiro livro de ficção adulta do jornalista e escritor Daniel Piza. São 28 histórias, dentre contos e minicontos, passadas em São Paulo na atualidade, que trazem personagens de variadas regiões, idades e classes. Combinando um estilo indireto com diálogos e a abordagem intimista com ações, elas mostram uma cidade marcada por tensões e possibilidades, melancolias e sonhos – uma São Paulo que não se basta na superfície.

“Ela atendia a todos seus desejos e ordens, mesmo sem poder distinguir uns e outras, e se submetia a esses caprichos porque pareciam pouco numerosos em contraste com suas declarações, gentilezas e sacrifícios. Um dia, enquanto prendia mais uma vez o cabelo em coque com um par de palitos vermelhos, a seu pedido, se deu conta de que Alberto não estava olhando para ela, mas para o que queria ver. Ele amava mais o Japão que ela involuntariamente representava do que ela própria; amava a fuga, não o fato.”

“O ônibus mal andava. A avenida estava congestionada, o nível da água já chegava quase à metade dos pneus dos carros; a cidade parecia à beira de uma convulsão, e Antonio pensou nas imagens que costumava ver das enchentes por ali, não raro ouvindo de Olga o comentário de que felizmente estavam livres disso. Na esquina seguinte, o farol piscante parecia fazer uma contagem regressiva para o dia em que todos os motoristas e passageiros largariam carros, caminhões, vans e ônibus e iriam embora para sempre. Não havia nenhum guarda para organizar o cruzamento, e cada carro lutava para tomar a frente do outro como as bactérias numa infecção.”

No primeiro conto, Educação pelo Outono, tem-se uma balconista de bar dividida entre dois homens e sua vontade de não estar onde está. Em Circuito Interno, a protagonista, uma arquiteta, vive uma estranha e absorvente situação que não sabemos até onde é real ou imaginada. Os homens também são captados por esse realismo sugestivo. Já em Calor de Chuva, um operador da bolsa faz uma breve viagem a um passado que desconhece. E em Golpe de Vista, o duelo em campo de dois jogadores de futebol resume diferenças que vão além do gramado.

A jornada de um médico no mundo social de sua empregada, o amor obsessivo de um brasileiro por uma nissei, uma recriação de uma personagem de Machado de Assis, um fim-de-semana trágico em Campos do Jordão, a última noite de vida de um grande ator e um encontro quase fantástico com um profeta do esperanto. Nota-se, assim, uma galeria de personagens e situações que os paulistanos podem identificar, mas que dialogam com leitores de qualquer parte. Os minicontos vão do anedótico ao dramático, do filosófico ao lírico, para flagrar cenas de vidas suspensas em dilemas urbanos e contemporâneos.

Com desfechos abertos e imprevisíveis, os textos captam conflitos da era virtual e pessoas que estão ao mesmo tempo apegadas a seu lugar e ansiosas para escapar dele. Desse modo, elas também tentam ir além de seu tempo e lugar. E revelam um ficcionista que faz da concisão sua força.

Daniel Piza é colunista de O Estado de S.Paulo, tradutor e autor de diversos livros, como Jornalismo Cultural, a biografia de Machado de Assis e a reportagem Amazônia de Euclides. Pela Bertrand Brasil, publicou Contemporâneo de Mim (2007) e Aforismos sem Juízo (2008).

SERVIÇO
Noites Urbanas
Daniel Piza
Contos
Editora Bertrand Brasil
176 páginas
Preço: R$ 33,00
ISBN: 9788528614473

16/08/2010 Posted by | Lançamentos editoriais | Deixe um comentário

:: “Quem faz reality mostra a cara”. – Shirley Carvalho

Após muitas participações marcantes em programas musicais da televisão, a cantora Shirley Carvalho tem um CD a caminho. Conheça melhor este talento brasileiro.

Após a meteórica ascensão no programa Ídolos (SBT), que nesta temporada vem conquistando a liderança para a TV Record, Shirley Carvalho não se abateu com a segunda colocação. Caloura veterana de Raul Gil, ela emendou outro reality, Astros, e saiu vencedora. Faz aproximadamente 15 shows por mês, em todo o Brasil, uma marca surpreendente para uma cantora sem discos gravados. Também virou hit no YouTube e nos noticiários brasileiros por conta de um dueto com o jogador de futebol Richarlyson, e prepara o primeiro CD.

RESENHANDO – Como é ser chamada de “Whitney Houston brasileira”?
SHIRLEY CARVALHO –
Não vejo nenhum problema, é uma honra. Sem dúvida, ela é minha inspiração, tem um timbre bacana. Embora ela tenha muita influência, não cantamos igual e eu não sou uma cantora cover dela. A Whitney é uma excelente artista, um fenômeno, pelo jeito de cantar e a atmosfera de “ diva” . Infelizmente, hoje ela não é a mesma da fase áurea, daqueles gritões, mas continua competente e deve ser respeitada por toda a trajetória artística.

RESENHANDO – Por que cantores lançados em realities saem da mídia?
S.C. –
Pode ser falta de sorte, ou oportunidade. O problema é que as pessoas esperam que, ao sair de um programa líder de audiência, “estourem” diretamente. O maior exemplo, para esse caso, é o da cantora Jennifer Hudson, que nem entre os primeiros colocados ficou no American Idol e ganhou o Oscar e um Grammy.

Confira a entrevista na íntegra em http://www.resenhando.com/rg/rg7310-shirley-carvalho.htm

16/08/2010 Posted by | Mais cultura | Deixe um comentário

:: Fotógrafo e motociclista JOSÉ ALBANO lança em Fortaleza o MANUAL DO VIAJANTE SOLITÁRIO

O lançamento acontece no dia 19/08 (quinta-feira) às 19h no Centro Cultural Banco do Nordeste.

“Tudo começou em 1983 com um desses telefonemas chatos de telemarketing, um cara tentando me vender um consórcio de automóvel. (…) eu resolvi encerrar o papo dizendo que, na verdade, eu já estava farto de carros e, se fosse comprar um veículo novo, seria uma moto. (…) O engraçado é que eu tinha falado aquilo pro vendedor só pra cortar o papo pois, na verdade, eu detestava motos!”

A semente plantada há 27 anos na cabeça de José Albano, um dos maiores nomes da fotografia no Ceará, deu frutos. No ano seguinte comprou uma Honda 125cc, com a qual viaja até hoje pelas estradas do país. O mais novo fruto daquela conversa de telemarketing é MANUAL DO VIAJANTE SOLITÁRIO (Terra da Luz Editorial, 2010. 112p), patrocinado pelo Banco do Nordeste, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultural. O lançamento acontece no dia 19 de agosto, às 19h, no Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza. No último sábado o autor realizou sessão de autógrafos na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

José Albano procura desmistificar as viagens de moto, o perigo que a ela é atribuída e, assim, reduzir o medo e a ansiedade ligada ao uso da moto nas estradas. “É mais perigoso usar a motocicleta na cidade do que na estrada”, comenta. “Quero dar a boa notícia de como tenho me dado bem com o meu estilo despojado de viajar”, diz no prefácio intitulado “Moto de viagem?”.

Outro mito que o autor põe na mesa é a moto ideal. “A melhor moto para viajar é a pequena, a comum, pois ela é mais barata, mais econômica, mais leve e tem mecânico e peça em qualquer lugar”, justifica. “E tem outra vantagem, a moto pequena corre pouco, então é menos perigosa”, continua.

MANUAL DO VIAJANTE SOLITÁRIO não é uma narrativa de viagens. O autor não visa contar nada, mas dá dicas para motoqueiros e, para isso, cita fatos que aconteceram em mais de 20 anos nas estradas sobre duas rodas. É um manual prático, onde instiga o motociclista a viajar.

O livro é dividido em capítulos que proporcionam uma espécie de diálogo com o leitor. São questões, como “Por que uma 125cc?”, “E as viagens?”, “E o desconforto?”, “E o medo?”, “E a manutenção?”, “E os perigos?”, entre outras perguntas que levam o leitor às linhas seguintes, para saber as resposta de José Albano, que são apresentadas em uma linguagem coloquial, como uma boa conversa entre motociclistas.

Alguns bons exemplos:

…muita gente me pergunta quantos quilômetros eu faço por dia. Respondo: “Eu sei lá!… Depende!…” “Mas, em média, quantos quilômetros por dia?”, insistem. Respondo: “Só no fim de uma viagem, posso tirar uma média.” Mas confesso que não estou muito preocupado com esses números, não. O que posso dizer é que depende da viagem, da estrada, do clima, depende da minha disposição, da minha pressa, ou não, de chegar… Mesmo assim, depois de tantas viagens, posso dizer que rodo entre 350 e 450 km por dia, se você insiste em saber… Você acha pouco? Eu, não!”

Aprendi a dar uma resposta às inúmeras pessoas que me abordam com a frase: “Mas que coragem!”. A minha resposta é: “Coragem é a sua de ver a vida passar dentro de casa! Como é que você tem coragem de gastar a vida desse jeito?”

O livro é dedicado a J.E.R.M.L. Quem é? Nem José Albano sabe. Mas estava em um monumento erguido a esse motoqueiro falecido na estrada, nas proximidades de Icó, no Ceará. Como José Albano sabia que era motoqueiro? Tinha uma moto vermelha desenhada.
Entre os vivos, o autor dedica o livro a Amarílio Rebouças, o “Bigode”, o mecânico da moto desde seus primeiros quilômetros até hoje. Foi ele quem deu o estalo para que o fotógrafo José Albano registrasse suas viagens quando disse: “Não se esqueça de tirar fotos quando cruzar uma divisa. É a prova que você tem de que esteve lá”. Conselho dado, conselho seguido. A primeira foto da primeira viagem está na página 37. Ela data de 1988 e foi feita na BR-222, na descida de Tianguá, no Maciço da Ibiapaba, Ceará.

QUEM É JOSÉ ALBANO

Nascido em Fortaleza, Ceará, em 1944, José Albano é fotógrafo desde 1967, quando cursava Letras na Universidade Federal do Ceará.Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou na Manchete Press Agency, agência de notícias da Editora Bloch (1969-1970). Com bolsa da Comissão Fulbright, estudou nos Estados Unidos, onde obteve o mestrado em Fotografia para os Meios de Comunicação na Syracuse University, em Nova York. Exerceu o fotojornalismo percorrendo os Estados Unidos, o Canadá e 12 países da Europa.

De volta ao Ceará, trabalhou na Escala Publicidade durante cinco anos, até abrir seu próprio estúdio, onde passou a fazer fotografia profissional para o comércio e indústria cearense, ilustração fotográfica de livros, restauração e reprodução de fotos antigas, retratos, documentação da paisagem, ecologia e turismo no estado do Ceará.

Faz fotografia de expressão pessoal documentando o movimento alternativo em todo o Brasil, as viagens de motocicleta e os meninos do Projeto Albanitos. Seu trabalho autoral foi publicado no livro “José Albano 40 Anos de Fotografia” (Terra da Luz Editorial, 2009). Foi contemplado com dois prêmios pelo conjunto da sua obra. Faz documentação fotográfica, junto ao seu irmão Maurício Albano, para o projeto “Comida Ceará” do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. “E continuo fotografando tudo o que me interessa na vida… e não é pouco!”

SERVIÇO

LANÇAMENTO – Manual do Viajante Solitário – Rodando de 125cc nas estradas do Brasil (José Albano. Terra da Luz Editorial, 2010. 112p) – Dia 19, às 19h, no Centro Cultural Banco do Nordeste (Rua Floriano Peixoto, 941 – Centro).

Manual do Viajante Solitário

Autor: José Albano

ISBN: 978-85-88112-13-1

Páginas: 112

Ano: 2010

Edição: 1

Idioma: Português

Acabamento: capa dura

Formato: 24 x 18 cm

Editora: Terra da Luz

Peso do livro: 670 gramas

Preço do Livro: R$ 45,00

16/08/2010 Posted by | Lançamentos editoriais, Mais cultura | Deixe um comentário