Blog do Resenhando: O Seu Site Cultural

Espaço de apoio do site Resenhando.com

:: 1001 ideias de receitas para o ano todo

Lançamento da Editora Larousse é uma verdadeira enciclopédia gastronômica


Para quem gosta de cozinhar e sabe o quão prazeroso é descobrir uma nova receita, variar o cardápio e experimentar novos sabores é fundamental. Pensando nisso, a Editora Larousse traz para o Brasil 1001 ideias de receitas para o ano todo, de Camille Depraz, um livro completo para quem deseja explorar todas as possibilidades de sua cozinha.
A obra aposta na praticidade e na variedade, apresentando receitas com ingredientes de todas as estações do ano de forma clara e didática – com informações sobre o tempo de preparo, grau de dificuldade e custo. A autora ainda dá dicas de acompanhamentos, adaptações – para substituir ingredientes ou ganhar tempo no preparo – e até mesmo sugestões de menus completos como, quando fizer a Alcatra fatiada e cenoura a entrada pode ser com Aspargos no vapor ao molho de amêndoas e para encerrar, uma Musse de café com nuvem de cacau ou se preferir, Cogumelos recheados com queijo fresco seguidos por um Enrolado de bacalhau fresco com presunto de Parma e um Creme de castanha com chocolate de sobremesa.
São 14 capítulos com ideias para as mais diversas ocasiões e cada um deles conta com um tópico chamado Zoom, seção que serve como uma espécie de manual de sobrevivência e traz sugestões para não fazer feio quando receber uma visita inesperada, dicas de pratos que agradam o paladar infantil ou de como preparar um jantar especial, cardápios práticos, lista de compras, congelados, itens básicos da dispensa para lidar com imprevistos e muito mais.
Nas 608 páginas de 1001 ideias de receitas para o ano todo o leitor encontrará receitas ilustradas de carnes, peixes, aves, saladas, massas, legumes e doces. Opções que vão da trivial Lasanha à bolonhesa expressa a Ostras grelhadas com panceta, passando pelo Medalhão de porco com molho de cogumelo e vinho do Porto, Salada de ervas com pitu, Boi na cerveja, Sopa de morango com framboesa e pirulitos gelados entre outras.
Seja como fonte de consulta, para dar uma nova cara a pratos conhecidos, ou de inspiração na descoberta de novos sabores, 1001 ideias de receitas para o ano todo é um livro completo e indispensável para os apaixonados por gastronomia.

Ficha Técnica:
1001 ideias de receitas para o ano todo
Autora: Camille Depraz
Tradução: Marlene Cohen
Número de páginas: 608
Preço sugerido: R$129,90

24/03/2011 Posted by | Lançamentos editoriais | Deixe um comentário

:: Longa traz elenco de qualidade, mas decepciona por trama fraca

Por: Daniel Romano

Em março de 2011

Enredo não convence, apesar de trazer elenco de primeira. Saiba mais do longa Homens em Fúria!

O filme Homens em Fúria, do diretor John Curran, começa bem, fazendo o público pensar sobre o direito que temos de julgar os outros. Senti aversão ao personagem principal logo no início da trama. Que moral tem um homem que comete chantagem com a própria mulher para que ela não o abandone? Como ele pode avaliar e julgar alguém? Esse tema tinha tudo para obter um roteiro bem elaborado. Não foi o caso.

Tudo citado acima, apenas faz parte da primeira cena, que chega a ter cinco ou dez minutos de duração. No decorrer da trama, só nos deparamos com um detento tentando convencer um agente de condicional a antecipar sua saída da prisão. E o moço não está sozinho, ele conta com a ajuda e sensualidade de sua bela esposa. Mas a história não emplaca, não há surpresas. Não tem jogada de cena, rítmo, nada. Uma mesmice entediante.

Leia a crítica do longa na íntegra em http://www.resenhando.com/set/s25911-Homens-em-furia.htm

24/03/2011 Posted by | Resenhas | Deixe um comentário

:: Garotos maus fazem boas ações

Por: Helder Miranda*

Em março de 2011

Sentir-se especial é fazer o bem sem olhar a quem. Confira a crônica de Helder Miranda!

Talvez você jamais desconfie que fui eu quem mandou aqueles livros. Mas, depois de ver seus olhos tristes na rua, perdendo a cor, e sendo tocado por um cumprimento tão gelado que me fez questionar se algum dia eu atravessei o seu caminho, imaginei que você precisava de algo.

Foi a teoria do passe-adiante, do romance Tributo ao Amor (Editora: Best-Seller), de Catherine Ryan Hyde, que me inspirou – e também deu origem ao filme A Corrente do Bem. O livro, que deve ter influenciado milhares pelo mundo afora, consiste na escolha de três pessoas para ajudar em algo. Em troca, a corrente deve ser continuada, e cada uma deve escolher outras três pessoas a serem ajudadas.

Não se sinta especial, também já recortei uma foto de girassol e enviei dentro de um envelope não identificado a quem estava triste, já liguei para um desconhecido para alertar sobre um erro de português em seu currículo mas, mesmo assim, cometo pequenas maldades inofensivas: essas me humanizam.

Fazer com que você recebesse livros infantis em sua casa, cheio de ilustrações com cores vivas, poderia preencher com um pouco de vida o acinzentado que percebi em você – e que me contaminou pelo resto do dia. Enviá-los anonimamente foi a maneira de desejar “boa sorte” para que enfrente com bravura o que vem pela frente. Amélie Poulain, do famoso filme francês (O fabuloso destino de Amélie Poulain) que começa muito bem e depois fica arrastado, se engaja na realização de pequenos gestos a fim de tornar mais felizes as pessoas ao seu redor e ganha um novo sentido para a existência.

Crônica na íntegra em http://www.resenhando.com/gente/g14810.htm

24/03/2011 Posted by | Mais cultura | Deixe um comentário

:: Crítica ferrenha ao sistema dá mais força a suspense protagonizado por Ryan Reynolds

95 minutos de pura tensão. Saiba mais de Enterrado Vivo!

Para quem é fã de filmes que deixam os nervos à flor da pele,Enterrado Vivo é a melhor pedida entre os lançamentos do gênero suspense. Não há dúvida, o longa dirigido por Rodrigo Cortés é realmente claustrofóbico, angustiante e muito intenso. Tais palavras não são força de expressão. O filme é mesmo de tirar o fôlego!

A história do longa estrelado por Ryan Reynolds tem como cenário o interior de um caixão sob a terra. E só. Tudo acontece nesta rústica caixa de madeira. Inicialmente, no escuro (total), é possível escutar o motorista de caminhão, Paul Conroy, ofegante, que após alguns segundos encontra um isqueiro. A partir do momento em que se faz a luz, os olhares apavorantes de Paul permitem que o público tenha uma ideia da dimensão do problema que viverá junto ao protagonista nos próximos 90 minutos.

Após conseguir tirar a mordaça e desamarrar as mãos, um celular, em árabe, toca. É então, que o pavor (contagiante) de Conroy aumenta. Afinal, o que querem de um simples motorista da CRT que trabalhava no Iraque para os norte-americanos? Eis que a pergunta sobre o real motivo de Paul ter sido enterrado vivo ganha forma, enquanto que a ameaça de morte se torna cada vez mais real e próxima de se concretizar.

Crítica na íntegra em

01/03/2011 Posted by | Mais cultura, Resenhas | Deixe um comentário